Estatística

quinta-feira, março 30, 2017

Arquivo Histórico Eugênio Victor Schmöckel - 2010 Novo Local



Publicado em 23 de mar de 2017
Era 30 de agosto de 2010, na gestão da prefeita Cecília Ayroso Konell, quando o Arquivo Histórico Eugênio Victor Schmöckel foi instalado num prédio alugado, no bairro Barra do Ribeirão Molha - próximo ao Ribeirão Kramer e o antigo Curtume Schmidt .
Antigamente, a instituição funcionou no atingo prédio da Prefeitura - atual sede do Museu Histórico Emílio da Silva - no prédio da Estação Ferroviária, espaço da instalação atual da Biblioteca Pública Rui Barbosa - Avenida Getúlio Vargas - e na Rua ida Bona, centro, lateral do logradouro da Barrão do Rio Branco.
Ademir Pfiffer - Historiador

Desfile de 7 de Setembro para celebrar o civismo



Publicado em 18 de mar de 2017
Jaraguá do Sul (SC): O 7 Setembro de 2005, foi marcado por um desfile comemorativo ao Dia da Pátria, na Avenida Reinoldo Rau - patrono do logradouro nascido em Brusque/SC .
Desde os anos 40 marcado pela campanha da nacionalização da educação na era Vargas, os desfiles de 7 de Setembro foram implantados com intensidade no Município jaraguaense, através das unidades escolares da rede particular (antigo Divina Providência, Escola Particular Jaraguá e São Luís) e pública de ensino (Grupo Escolar Abdon Batista).
Atualmente, o desfiles de 7 de Setembro tem a participação das unidades escolares diversas, principalmente, da rede municpal de ensino.
Ademir Pfiffer - Historiador

VII Festa do Aipim - Jaraguazinho



Publicado em 20 de mar de 2017
Em agosto de 2010, aconteceu a VII Festa do Aipim, em Jaraguazinho - Comunidade Católica Santa Cruz - no Município de Jaraguá do Sul (SC).
Esse evento congrega todos os produtores de aipim, cuja comunidade é espaço remanescente da imigração suábia-húngara e colonização germânica (alemã e pomerana).
O evento acontece sempre no segundo domingo de agosto, para marcar as comemorações do Dia dos Pais.
O cardápio oficial é o aipim, tendo inúmeras iguarias de acompanhantes. Não falta também, na ocasião no almoço típico, o tradicional assado do marreco com recheio, no forno a lenha; frango, carne de panela suína e bovina.
Para festa ser atrativa conforme os costumes da comunidade, música folclórica, através do instrumento do bandoneon.
Assim, para o encerramento do evento é organizado um a tarde dançante. 
Ademir Pfiffer - Historiador

Jaraguá do Sul 129 anos de Fundação



Publicado em 18 de mar de 2017
Jaraguá do Sul (SC) completou em 25 de julho de 2005, 129 anos de fundação.
A Fundação de Cultura do Município coordenou o desfile cultural e alusiva a data comemorativa, trazendo a participação dos grupos étnicos (afro-brasileiro, pomeranos, alemães, italianos, poloneses e húngaros), que colonizaram a cidade a partir da segunda metade do século XIX. 
Além disso, as entidades associativistas e representativas fizeram sua presença pela importância na sociedade jaraguaense.
Atenciosamente,
Ademir Pfiffer - Historiador

quinta-feira, março 16, 2017

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - Imagens



Publicado em 16 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

domingo, março 12, 2017

Celestino Klinkoski, construindo o seu patrimônio político pela sua atuação


Em Jaraguá do Sul/SC, um momento de crise política partidária de fragilidades e rupturas, há políticos que se escondem da comunidade e de seus eleitores, como consequência de sua covardia.

Sábado, o vereador Celestino Klinkoski revelou porque a política trata-se de uma arte e ciência, pois foi ovacionado pelas centenas de convidados e participantes do evento do schützenverein, na Sociedade 25 de Julho, no Jaraguá 99. O reconhecimento estava representado no aperto de mão, abraços e o conversar do nobre vereador, que sabe dialogar com o povo e ouvir o clamor dos menos favorecidos.
Desde o inicio da administração de Lunelli e Wagner, herdeiros do patrimônio do ex-prefeito Dieter Janssen – agregador e estimulador da ética e práticas de diálogo construtivos - Klinkoski passou a ser um líder fundamentado nesse referenciais. Assim, estimula a defesa dos servidores públicos, que trabalham à favor da coletividade , bem como dos setores da cultura jaraguaense, que nestes últimos 11 anos construíram políticas públicas na defesa da construção Patrimônio Cultural e dos bens brasileiros.
Ao contrário de um grupo de político que se fizeram à sobra do prestígio moral do seu líder, Dieter Janssen, respeitado cidadão e multiplicador da boa educação, Klinkoski revela-se carismático e líder nato de mais três mil servidores, que acreditamos no seu potencial, para humanizar a cidade, o serviço público, sem chincalhar e desmerecer quem forma o tecido social dos assalariados mais frágeis, que são alvos de políticas de cortes do Poder Executivo e Legislativo. 
Em contra partida, a elite formada por convidados do “rei” em seus gabinetes lutam para manter os seus privilégios dos altos salários e sem cortes. 
Assim, nesse momento de desafios surge um vereador como Klinkoski, que mostra bravura pela defesa das políticas de humanização, respeito à cultura e ao conjunto dos servidores públicos.
A partir desta perspectiva, Klinkoski , o novo agente do povo se projeta para as eleições de 2018, concorrendo a uma vaga à Assembleia Legislativa (sugestão), para continuar a sua luta mobilizadora, que orgulha os fracos e oprimidos. 
Nos próximos dias, esperamos que, em meio ao combate, os servidores públicos que eram aliados do ex-prefeito Dieter Janssen, atualmente ocupando os cargos de envergadura, se posicionam revelando que a caixa da pandora, assim apresentada é apenas uma fragilidade política de quem não conhece a realidade da Prefeitura.

Ademir Pfiffer - Historiador




50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 02



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

2017 - Festival da Cerveja de Blumenau



Publicado em 11 de mar de 2017
Voltar à cidade de Blumenau todos os anos pelos atrativos do Festival Brasileiro da Cerveja é um privilégio ao visitante, pois a cidade tem uma história de imigração e colonização germânica (pomerana, alemã e Suíça), que marcou a construção dos hábitos e costumes dos blumenauenses, como de consumir cerveja e organizar eventos dessa especialidade.
De 8 a 11 de março aconteceu mais uma edição do Festival da Cerveja, no qual compareci para registar qual a importância do evento para desenvolvimento da indústria cervejeira de pequeno porte (artesanal) e sua contribuição para expansão do mercado local, regional e nacional.
Nestas imagens digitais temos os vasilhames, rótulos, champinhas e outros recursos, que facilitam a embalagem do produto para chegar ao consumidor com criatividade e atratividade.

Ademir Pfiffer – Historiador

quarta-feira, março 01, 2017

Patrimônio Cemiterial Central de Barra Velha



Publicado em 1 de mar de 2017
O Cemitério Central de Barra Velha (SC) se constitui um ponto de encontro de memória e história. Porém, é um espaço público da vida privada, objeto de patrimônio a ser preservado, como referência da identidade da cidade, sendo os atores sociais foco de análise e que partiram da vida.
No local deste cemitério os interessados poderão conhecer a memória e a história dos moradores remanescentes, principalmente, de Portugal (Açores), Alemanha, Itália, Bélgica (Bruxélas), Polônia e das nações africanas diversas, pois esta é uma das finalidades deste vídeo, também um recurso para pesquisas de genealogia.
No Cemitério Central desta cidade, há sepulturas remanescentes dos translados dos corpos do antigo cemitério (século XIX) local, anos 30. Porém, o coveiro atual, não tem memória do inicio dos sepultamentos nessa área central do Município.
De longa data, os cemitérios são pontos de sociabilidades, memórias, histórias, reencontros de famílias e cidadãos (ãs).
Por isso, os cemitérios precisam ser planejados, conservados pelas famílias e o Poder Público, como um cartão postal de turismo. Além disso, esse cemitério é um centro de empoderamento cultural de memória coletiva dos mortos, pois revela quem eram as pessoas que moravam nesta cidade; quais os valores que defendiam à sua época, em beneficio da coletividade; funções que exerceram, bem como as contribuições e o seu legado cultural, que construiu na sua trajetória de vida.
Dessa forma, ainda hoje estão presentes as suas representações, no imaginário coletivo ou em obras do patrimônio edificado, material e imaterial

Ademir Pfiffer – Historiador

Barra Velha em constante metamorfose de progresso



Publicado em 28 de fev de 2017
A cidade de Barra Velha (SC), no Vale do Itapocu, região da Amvali está em constante metamorfose de progresso. 
Do espaço de compras e parada da Havan, imagem de um perímetro urbano em constante transformação.
Ademir Pfiffer

quinta-feira, fevereiro 23, 2017

Schützenverein na Itoupava Rega - 09



Publicado em 4 de fev de 2017
Em 28 de janeiro aconteceu em Blumenau (SC), no Clube de Caça e Tiro Itoupava Rega ( 1898), também conhecido pelo nome de Salão Zindars, a tradicional festa do schützenverein das seguintes majestades:
Feminino: Elzira Ott, rainha; Deise Daiane Frotscher , 1ª princesa e Gerda Hackbarth, 2ª princesa.
Masculino: Jacson Klitzke, rei; Paulo Modro, 1º cavalheiro e Uvo Ott, 2º cavalheiro.
A musicalização ficou por conta da Banda Vila Musikanten, que animou a ritualística folclórica de busca das majestades, o baile social e a ritualística folclórica da dança polonese (patrimônio cultural das áreas de colonização germânica e polonesa) e da sagração das novas majestades para o ano de 2018.
Durante o evento aconteceu o tradicional jantar festivo e as disputas de tiro alvo, inclusive para as crianças, pois foram premiadas com suas respectivas medalhas.
A diretoria do Clube de Caça e Tiro Itoupava Rega, em mais de um século de história tem o seu firme propósito de salvaguardar o patrimônio cultural da kegelfest e do schützenverein, através de suas festas associativista de sagração de majestades como, reis, rainhas, princesas e cavalheiros.
Por isso, o clube conta com uma rede de apoio presencial em suas festas, através das entidades associativista de Jaraguá do Sul (Botafogo, Aliança, Alvorada), Pomerode, Massaranduba ( Atiradores Central, Ribeirão Gustavo e Onze União) e Guaramirim (Brüderthal e Comercial).
Ademir Pfiffer - Historiador

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

O tropeirismo em Rio Cerro I e II, por Rui Utpadel



Publicado em 19 de fev de 2017
O Senhor Ruy Utpadel, descendente de pomerano-brasileiros foi convidado para narrar suas memórias ligadas ao movimento do tropeirismo de antigamente, em Jaraguá do Sul (SC) e na região do Rio Cerro I e II.
Assista o áudio do vídeo da narrativa para conhecer parte da memória e história do tropeirismo, as tropas de cavalo, cujo cavalos vinham dos campos de Lages (SC).
Ademir Pfiffer - Historiador

Evento:Tomada da Monte Castello em Corupá



Publicado em 22 de fev de 2017
O evento tomada da Monte Castello em Corupá (SC), no dia 18 de fevereiro aconteceu em parceria entre a Associação dos Veteranos da Força Expedicionária e o Setor de Cultura daquele município.
O Senhor Ivo Kretzer, conjuntamente, com Roseli Siewert organizaram o evento às margens do rio Itapocu, no centro, no Monumento da Feb, construído na gestão do prefeito Ernesto Felipe Blunk, em 1989.
Dessa forma, o dia 21 de fevereiro do ano de de 1945, um marco para a Feb, que atuou nos campos de batalha da Itália, não passou em branco, pois foi permeado de homenagem e reflexões alusivas ao fato histórico.
Veja e ouça a narrativa da explanação do Senhor Ivo Kretzer, secretario da Anvfeb, secção de Jaraguá do Sul.
Gavação, na Divisão do Patrimônio, Fundação Cultural.
Ademir Pfiffer - Historiador

terça-feira, fevereiro 21, 2017

Sociedade Comercial – Schützenverein – 01



Publicado em 12 de fev de 2017
Desde 13 de outubro de 1924, a Estrada Jacu Açu – uma referência a abundância da espécie do Jacu na Mata Atlântica – Município de Guaramirim (SC), tem presente a base organizacional do associativismo do tiro ao alvo.
As famílias pioneiras que implantaram a base do associativismo foram Wagner, Klitzke e Krause.
Assim, ao longo de quase um século muitas das memórias se perderam por conta dos regimes ditatoriais, que se instalaram no Brasil como a era Vargas e o regime militar. Além disso, o fenômeno do êxodo rural colaborou que parte da população daquela comunidade migrasse para o meio urbano e o Estado do Paraná.
Dessa forma, a Sociedade Esportiva e Recreativa foi refundada em maio de de1967, pois a nova geração sofreu com os impactos do sumiço da documentação, o Estatuto Social publicado no jornal Anoticia de Joinville (SC), no ano de 1924.
No sábado, 11 de fevereiro, os associados filhos dos colonizadores, uma minoria de remanescentes se reencontrou para reavivar a memória da tradição do Patrimônio do Schützenverein.
Na ocasião eram as majestades: Gabriel Baumann dos Santos, rei; Cristian Boech, 1º cavalheiro; Antonio Oechsler, 2º cavalheiro. Sendo a corte completada pela ala feminina: Eliane Nicocelli, rainha; Sara Oechsler, 1ª princesa e Dolores Siebel Völz, 2ª princesa.
O evento iniciou às 18 horas e teve um cronograma: concentração dos sócios, ritualística de busca de majestades (Vilmar Krüger, comandante e Adelaide Schaldag Stein, bandeireira), sessão de homenagem, competições de tiro rei e prêmio, jantar festivo, sagração das novas majestades e o baile social animando pela Banda Eco’s de Schroeder (SC).
Ademir Pfiffer – Historiador

Pelos logradouros da Barra do Rio Cerro



Publicado em 12 de fev de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Pelos logradouros da Barra do Rio Cerro (Angelo Rubini, Wolfgang Weege e Feliciano Bortolini) até chegar no Jaraguá Esquerdo (Enrico Fermi, João Januário Ayroso).

Logradouros da Barra do Rio Cerro



Publicado em 12 de fev de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Logradouros da Barra do Rio Cerro, Linda Rosa, Frida Piske Krüger, Madalena Schneider e Albert Schneider.

Rua Richard Viergutz, em Rio Cerro I



Publicado em 5 de fev de 2017
Rua Richard Viergutz, em Rio Cerro I, Município de Jaraguá do Sul (SC).
Ademir Pfiffer - Historiador

Vogelstechen Sociedade Aliança Rio Cerro II - 10



Publicado em 5 de fev de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Em Rio Cerro II , onde vive a comunidade remanescente de pomeranos e alemães. No sábado, 04 de fevereiro aconteceu a 102ª, festa das competições do Vogelstechen (pássaro ao alvo), da estação de verão, na Sociedade Aliança.
A festa começou com a concentração das sócias e convidadas. Em seguida a presidente do Departamento Feminino, Elenir Hornburg tocou o apito para a concentração e organização da fila, através da participação das associadas, seguida de orientações técnicas de costume.
A Banda Estrela de Ouro da própria comunidade abrilhantou a marcha solene das majestades, cuja corte era assim composta: Marli Köpp (rainha); Eliete Udpadel (1ª princesa e Ilse Köpp (2ª princesa).
A ritualística folclórica de busca das majestades aconteceu no entorno da entidade associativista. 
Após o desfile no interior da sede sócia a professora Vivian Struts Giese, tomou a palavra e fez a oratória da tarde, enaltecendo o evento de congraçamento das mulheres que partilham a vida comunitária ligada as tradições da cultura germânica (pomerana e alemã).
Com mais de 500 convidados, a rainha e sua corte ficou durante mais de uma hora para receber os cumprimentos de cada convidado.
Em seguida foi servido o tradicional café colonial, com inúmeras iguarias da especialidade da cozinha germânica, organizada e preparada pela a equipe da Senhora Gatti Ehlert, do vale do Rio da Luz.
Paralelo, a tarde dançante e do café colonial, as associadas participavam das competições de tiro do pássaro ao alvo (volgelstechen), cujo ânimo estava estampado no rosto de cada cidadã. 
Em relação ao evento vale ressaltar que, a comunidade de Rio Cerro II, tem vital importância no cenário cultural do Município de Jaraguá do Sul pela sua gente e pela defesa do seu patrimônio do vogelstechen.
Desde o inicio do século XX, antes de se constituir a Sociedade Aliança, a comunidade do Rio Cerro II, já organizava sua cultura local, através do associativismo. Dessa forma, são mais de um século de tradição que se propaga a identidade cultural dos pomeranos e alemães, naquela comunidade.
Assim, também, desde 1949, a Sociedade Aliança vem fortalecendo a continuidade da salvaguarda do seu patrimônio cultural material e imaterial dos antepassados, bem como as manifestações folclóricas.
As imagens símbólicas das bandeiras e mapas revelam, que moramos no Brasil. As imagens que, revelam a identidade e os simbolos da Pomerânia e Alemanha, também revelam as origens dos colonizadores no final do século XIX, que aportaram em Santa Catarina e que se estabeleceram na região Sul do nossso Município.
Ademir Pfiffer – Historiador

Vogelstechen Sociedade Aliança Rio Cerro II - 06



Publicado em 5 de fev de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Em Rio Cerro II , onde vive a comunidade remanescente de pomeranos e alemães. No sábado, 04 de fevereiro aconteceu a 102ª, festa das competições do Vogelstechen (pássaro ao alvo), da estação de verão, na Sociedade Aliança.
A festa começou com a concentração das sócias e convidadas. Em seguida a presidente do Departamento Feminino, Elenir Hornburg tocou o apito para a concentração e organização da fila, através da participação das associadas, seguida de orientações técnicas de costume.
A Banda Estrela de Ouro da própria comunidade abrilhantou a marcha solene das majestades, cuja corte era assim composta: Marli Köpp (rainha); Eliete Udpadel (1ª princesa e Ilse Köpp (2ª princesa).
A ritualística folclórica de busca das majestades aconteceu no entorno da entidade associativista. 
Após o desfile no interior da sede sócia a professora Vivian Struts Giese, tomou a palavra e fez a oratória da tarde, enaltecendo o evento de congraçamento das mulheres que partilham a vida comunitária ligada as tradições da cultura germânica (pomerana e alemã).
Com mais de 500 convidados, a rainha e sua corte ficou durante mais de uma hora para receber os cumprimentos de cada convidado.
Em seguida foi servido o tradicional café colonial, com inúmeras iguarias da especialidade da cozinha germânica, organizada e preparada pela a equipe da Senhora Gatti Ehlert, do vale do Rio da Luz.
Paralelo, a tarde dançante e do café colonial, as associadas participavam das competições de tiro do pássaro ao alvo (volgelstechen), cujo ânimo estava estampado no rosto de cada cidadã. 
Em relação ao evento vale ressaltar que, a comunidade de Rio Cerro II, tem vital importância no cenário cultural do Município de Jaraguá do Sul pela sua gente e pela defesa do seu patrimônio do vogelstechen.
Desde o inicio do século XX, antes de se constituir a Sociedade Aliança, a comunidade do Rio Cerro II, já organizava sua cultura local, através do associativismo. Dessa forma, são mais de um século de tradição que se propaga a identidade cultural dos pomeranos e alemães, naquela comunidade.
Assim, também, desde 1949, a Sociedade Aliança vem fortalecendo a continuidade da salvaguarda do seu patrimônio cultural material e imaterial dos antepassados, bem como as manifestações folclóricas.
Ademir Pfiffer – Historiador

Vogelstechen Sociedade Aliança Rio Cerro II - 03



Publicado em 5 de fev de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Em Rio Cerro II , onde vive a comunidade remanescente de pomeranos e alemães. No sábado, 04 de fevereiro aconteceu a 102ª, festa das competições do Vogelstechen (pássaro ao alvo), da estação de verão, na Sociedade Aliança.
A festa começou com a concentração das sócias e convidadas. Em seguida a presidente do Departamento Feminino, Elenir Hornburg tocou o apito para a concentração e organização da fila, através da participação das associadas, seguida de orientações técnicas de costume.
A Banda Estrela de Ouro da própria comunidade abrilhantou a marcha solene das majestades, cuja corte era assim composta: Marli Köpp (rainha); Eliete Udpadel (1ª princesa e Ilse Köpp (2ª princesa).
A ritualística folclórica de busca das majestades aconteceu no entorno da entidade associativista. 
Após o desfile no interior da sede sócia a professora Vivian Struts Giese, tomou a palavra e fez a oratória da tarde, enaltecendo o evento de congraçamento das mulheres que partilham a vida comunitária ligada as tradições da cultura germânica (pomerana e alemã).
Com mais de 500 convidados, a rainha e sua corte ficou durante mais de uma hora para receber os cumprimentos de cada convidado.
Em seguida foi servido o tradicional café colonial, com inúmeras iguarias da especialidade da cozinha germânica, organizada e preparada pela a equipe da Senhora Gatti Ehlert, do vale do Rio da Luz.
Paralelo, a tarde dançante e do café colonial, as associadas participavam das competições de tiro do pássaro ao alvo (volgelstechen), cujo ânimo estava estampado no rosto de cada cidadã. 
Em relação ao evento vale ressaltar que, a comunidade de Rio Cerro II, tem vital importância no cenário cultural do Município de Jaraguá do Sul pela sua gente e pela defesa do seu patrimônio do vogelstechen.
Desde o inicio do século XX, antes de se constituir a Sociedade Aliança, a comunidade do Rio Cerro II, já organizava sua cultura local, através do associativismo. Dessa forma, são mais de um século de tradição que se propaga a identidade cultural dos pomeranos e alemães, naquela comunidade.
Assim, também, desde 1949, a Sociedade Aliança vem fortalecendo a continuidade da salvaguarda do seu patrimônio cultural material e imaterial dos antepassados, bem como as manifestações folclóricas.
Ademir Pfiffer – Historiador

Arquitetura e guindaste na Rua Eleonara Satler Pradi



Publicado em 31 de jan de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Arquitetura ( Yatil Construtora e Incorporadora LTDA, de Fabio Nunes e Yachiyo Nunes) e a empresa de guindaste Volpi movimenta o progresso na Rua Eleonara Satler Pradi.
O cotidiano de uma urbe permeada de constantes inciativas de empreendedorismo, através de importantes soluções para ocupação racional da área central deste Município catarinense.
Ademir Pfiffer - Historiador

12º Femusc, em 26/01/17 - Antidio Aleixo Lunelli



Publicado em 31 de jan de 2017
O Festival de Música de Santa Catarina foi aberto na Sociedade Cultural Artística de Jaraguá do Sul (SC), no bairro Czerniewicz.
A abertura aconteceu no teatro grande da entidade associativista em defesa do patrimônio cultural do Município catarinense.
Com a palavra o prefeito Antídio Aleixo Lunelli, que abordou em seu pronunciamento os elementos que caracterizam o evento da música erudita do Município jaragauesnes, em 12 edições.
Ademir Pfiffer - Historiador

12º Femusc, em 26/01/17 - Hilton José da Veiga Faria



Publicado em 31 de jan de 2017
O Festival de Música de Santa Catarina foi aberto na Sociedade Cultural Artística de Jaraguá do Sul (SC), no bairro Czerniewicz.
A abertura aconteceu no teatro grande da entidade associativista em defesa do patrimônio cultural do Município catarinense.
Com a palavra o presidente do Instituto Femusc, o Senhor Hilton José da Veiga Faria.
Ademir Pfiffer - Historiador

Norbert Konkoly, o Embaixador da Hungria visita Jaraguá do Sul



Publicado em 25 de jan de 2017
Norbert Konkoly, o Embaixador da Hungria, em companhia do Senhor Amauri Steinmacher (presidente da Associação Húngara de Jaraguá do Sul/SC) , Peter Sutyinszki (adido de comércio) e Christina Vasconcelos Lago (cônsul honorária húngara em Santa Catarina) foram recepcionados na Prefeitura do Município pelo Senhor Antídio Aleixo Lunelli (prefeito/Síndico), Sidnei Marcelo Lopes (Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo) e Natalia Lucia Petri (Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Lazer).
A Associação Húngara convidou Ademir Pfiffer (Museu Histórico Emílio da Silva), para se integrar à comitiva da representação da Embaixada da Hungria no Brasil, na recepção na Prefeitura e no roteiro de visita do local de assentamento da comunidade húngara, a partir de 1891.
Anteriormente à visita à Prefeitura, a comitiva esteve cedo no Museu Histórico Emílio da Silva, onde conheceu a missão da instituição museal e as coleções de acervos instaladas desde o ano de 2001.
Após a recepção no gabinete do prefeito, a comitiva visitou as comunidades de Jaraguá 84 (Santíssima Trindade), Jaraguá Alto ( Santo Estevão) e Jaraguazinho (Santa Cruz).
A visita matutina encerrou com almoço de confraternização no Restaurante da Armalwee.
Ademir Pfiffer - Historiador

Emílio da Silva Neto fez o uso da palavra durante a visitia do Embaixado...



Publicado em 31 de jan de 2017
Norbert Konkoly, o Embaixador da Hungria foi recepcionado pela Associação Húngara de Jaraguá do Sul (SC), no Edíficio Gehring, no salão de festa.
Amauri Steinmacher e a esposa fizeram as honras da casa, contando com apoio do casal Osmar e Rose Pinter, Bernadete Panstein e outros.
Foram recepcionados no evento, o Senhor Nobert Konkoly, Peter Sutyinski (adido de comércio) e Christina Vasconcelos Lago (cônsul honorária húngara em Santa Catarina).
Da Fundação Cultural foi convidado, Ademir Pfiffer, Marcelo Hains Prochnow e Sidnei Marcelo Lopes. Da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Lazer, Natália Lucia Petri.
Porém, outras pessoas foram convidadas para o evento, pois muito deles já conquistaram a cidadania húngara.
A finalidade da visita foi dar continuidade às políticas públicas do Governo da Hungria reiniciadas no ano de 1996 de modo particular com a comunidade húngara de Jaraguá do Sul. A mesma foi fundada em 1891 e até hoje participa ativamente do progresso e desenvolvimento do Município, nas diversas áreas dos setores produtivos, lazer social e cultural.
Emílio da Silva Neto (descendente das família Schraener e Salomon) e fez o uso da palavra durante a visita do Embaixador da Hungria

Ademir Pfiffer – Historiador

Amauri Steinmacker saudou o Embaixador da Hungria



Publicado em 31 de jan de 2017
Nobert Konkoly, o Embaixador da Hungria foi recepcionado pela Associação Húngara de Jaraguá do Sul (SC), no Edíficio Gehring, no salão de festa.
Amauri Steinmacher e a esposa fizeram as honras da casa, contando com apoio do casal Osmar e Rose Pinter, Bernadete Panstein e outros.
Foram recepcionados no evento, o Senhor Nobert Konkoly, Peter Sutyinski (adido de comércio) e Christina Vasconcelos Lago (cônsul honorária húngara em Santa Catarina).
Da Fundação Cultural foi convidado, Ademir Pfiffer, Marcelo Hains Prochnow e Sidnei Marcelo Lopes. Da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Lazer, Natália Lucia Petri.
Porém, outras pessoas foram convidadas para o evento, pois muito deles já conquistaram a cidadania húngara.
A finalidade da visita foi dar continuidade às políticas públicas do Governo da Hungria reiniciadas no ano de 1996 de modo particular com a comunidade húngara de Jaraguá do Sul. A mesma foi fundada em 1891 e até hoje participa ativamente do progresso e desenvolvimento do Município, nas diversas áreas dos setores produtivos, lazer social e cultural.
Amauri Steinmacker, (cidadão húngaro-brasileiro), presidente da Associação Húngara de Jaraguá do Sul falou em nome da comunidade remanescente da Associação Húngara do Município catarinense.

Ademir Pfiffer – Historiador

Norbert Konkoly, Embaixador da Hungria narra sua vinda a Jaraguá do Sul



Publicado em 31 de jan de 2017
Norbert Konkoly, o Embaixador da Hungria foi recepcionado pela Associação Húngara de Jaraguá do Sul (SC), no Edíficio Gehring, no salão de festa.
Amauri Steinmacher e a esposa fizeram as honras da casa, contando com apoio do casal Osmar e Rose Pinter, Bernadete Panstein e outros.
Foram recepcionados no evento, o Senhor Nobert Konkoly, Peter Sutyinski (adido de comércio) e Christina Vasconcelos Lago (cônsul honorária húngara em Santa Catarina).
Da Fundação Cultural foi convidado, Ademir Pfiffer, Marcelo Hains Prochnow e Sidnei Marcelo Lopes. Da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Lazer, Natália Lucia Petri.
Porém, outras pessoas foram convidadas para o evento, pois muito deles já conquistaram a cidadania húngara.
A finalidade da visita foi dar continuidade às políticas públicas do Governo da Hungria reiniciadas no ano de 1996 de modo particular com a comunidade húngara de Jaraguá do Sul. A mesma foi fundada em 1891 e até hoje participa ativamente do progresso e desenvolvimento do Município, nas diversas áreas dos setores produtivos, lazer social e cultural.
Veja a exposição oral da autoridade húngara sobre sua vinda ao município catarinense no Vale do Itapocu.

Ademir Pfiffer – Historiador

34ª Festa Pomerana em 15.01.16 - Trio Edelweiss



Publicado em 20 de jan de 2017
Pomerode (SC): 34ª Festa Pomerana em 15.01.16 - Trio Edelweiss, por Marcio Brosowsky e seus parceiros, da cidade São Bento do Sul (SC).
Música germânica de época que a comunidade pomerodense e entorno conhecem sua importância como elemento símbolo da cultura alemã e pomerana.
Ademir Pfiffer - Historiador